quarta-feira, 23 de maio de 2012

FOFOCA NO TERREIRO: COMO ACABAR COM ELA

De todos os males que afligem uma Casa Umbandista, o pior de todos é a maledicência, popularmente conhecida como fofoca.

"Você viu fulana? Vem aqui no Terreiro só pra olhar a vida dos outros."
"É mesmo. Detesto gente assim"
"E sicrana? Você viu a roupa que ela está usando? Horrorosa."

Em todo terreiro a conversa se repete. Quem nunca fez um comentário malicioso sobre um irmão de santo?

Embora possam parecer inofensivos, esses comentários de canto de boca acabam prejudicando a todos e principalmente a Gira. Sem falar na corrente que fica totalmente enfraquecida.


A fofoca é sempre negativa. Não existe fofoca boa. Quase sempre ela é motivada pela inveja. Ela rouba a energia, tempo e o axé do terreiro, conquistado com tanto sacrifício.


É usada geralmente pelas pessoas mal sucedidas na vida, seja no campo material ou no espiritual. A pessoa de sucesso não está preocupada em criticar os outros. Esta focada na realização e não na opinião.


Não é só na Umbanda que ela está presente. Está presente em todas as outras religiões. E também em outros setores da vida social: no trabalho, na escola, na família, etc. 


Os estragos que ela trás podem ser irrecuperáveis, por isso é obrigação de todos cuidar para que ela acebe ou pelo menos seja minimizada. 


O primeiro passo, se você não quer ser alvo disso, é abster-se de emitir comentários a respeito de outras pessoas. É a tal história: se cada um fizer a sua parte.


Mas não temos como controlar a língua do outro. Mas nem por isso devemos retransmitir o que eles pensam. Assim sendo, evite de se prestar ao trabalho de "mensageiro de fofocas": se ouviu, entra por um ouvido e sai pelo outro, ou seja, esqueça!


O dirigente da Casa tem algumas técnicas que podem ser usadas. Primeiro, esclareça sempre os perigos da fofoca.
  • educar a todos sobre os efeitos negativos de fofocas sobre a moral dos outros médiuns.
  • discutir como causa a percepção desnecessários e prejudiciais dos outros que podem levar a conclusões erradas e prejudiciais sobre um indivíduo.
  • mencionar que a fofoca não é fato, mas em grande parte observações opinativas e julgamentos com base em uma falta de informação e perspectiva.
  • descrever os atributos de um fofoqueiro: alguém que se concentra apenas no negativo, que escolhe as fraquezas dos outros, e que não pode ser confiado com informações porque eles vão espalhá-lo como uma praga.
  • salientar que fofocar é um comportamento inaceitável e antiético.


Sabemos que é quase impossível acabar com a fofoca. Mas quanto mais importância dermos a ela mais ela cresce e pior fica o ambiente. 

Enfim, EDUCAR e VALORIZAR o diálogo aberto e em grupo.


Umbanda e a Prosperidade

Quem quer ser próspero? Quem quer ter mais saúde? Mais dinheiro? Quem quer viajar? Comer nos melhores restaurantes? Quem quer d...