quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Como devemos encarar a ingratidão na Umbanda



Uma das primeiras lições que aprendi na Umbanda foi a de que não devemos cobrar a gratidão das pessoas que buscam ajuda nos terreiros.
Mas por quê? Se a ingratidão é algo tão reprovável?
Dói auxiliar alguém e nem receber um obrigado. Há aqueles que só vão à gira em busca de seus interesses pessoais e quando alcançam seus objetivos nunca mais aparecem.
Mesmo entre nós médiuns existem esse comportamento. Só sabemos pedir e nunca estamos satisfeitos. Sempre queremos mais. Mas quando a Umbanda precisa de nossos préstimos, temos sempre uma desculpa na ponta da língua.
Pois bem, se a ingratidão nos faz tanto mal, não seria justo reprovar essas pessoas?
A resposta é NÃO.
Pois já recebemos o pagamento antes mesmo de realizarmos os trabalhos nos terreiros. Não temos o que cobrar, já fomos pagos.
É isso mesmo. Já fomos pagos. Diferente dos homens, DEUS paga sempre adiantado.
Vejamos:
Ele nos deu a vida.
Nos deu a inteligência para que pudéssemos discernir o certo do errado.
Nos deu a visão para que pudéssemos contemplar esse planeta maravilhoso.
Nos deu a audição para que pudéssemos ouvir o canto dos pássaros, o som do mar, dos ventos, da chuva.
Nos deu as mãos e os braços para que pudéssemos trabalhar.
Nos deu os pés e as pernas para que pudéssemos caminhar.
Nos deu o alimento para matar nossa fome.
Nos deu água para matar nossa sede.
Nos deu o ar para que pudéssemos respirar.
Enfim, nos deu todos os recursos para que pudéssemos viver.
Deu tudo isso e muito mais. E continua nos dando ao longo de nossa existência.
E quanto nós pagamos por isso?
A resposta é NADA.
Por isso já recebemos nosso pagamento adiantado. Não há o que discutir.
A Umbanda é uma das vias mais perfeitas para que possamos retribuir essa dádiva.
Quando trabalhamos no terreiro praticando a caridade, estamos apenas retribuindo aquilo que recebemos. Por isso não podemos cobrar nada de quem nos procura. Nem cobrar em dinheiro nem cobrar um “muito obrigado”.

Quem se propõe a fazer a caridade não deve esperar pela gratidão.

Pai Alexandre Trinidad
Núcleo Umbandista Pai Joaquim de Angola e Mentores de Luz
Praia Grande – São Paulo

quarta-feira, 24 de julho de 2013

CALENDÁRIO SEGUNDO SEMESTRE 2013

AGOSTO
02 – sexta – 20 h – Festa de Nanã – Pretos Velhos
09 – sexta – 20h – Socorristas
16 – sexta – 20h – Gira de Caboclos
21 – quarta – 20h – Gira Linha do Povo
23 – sexta – 20h – Gira de Ciganos e Oriente
30 – sexta – 20h – Festa Exu Marabô – Ritual da Vitalidade e Estímulo

SETEMBRO
04 – quarta – 20h – Gira de Pretos Velhos
06 – sexta – 20h – Socorristas
13 – sexta – 20h – Gira de Caboclos
20 – sexta – não haverá gira
21 – sábado – 17h – Tratamento Espiritual
27 – sexta – 20h – Festa de Cosme e Damião – Ritual da Fraternidade

OUTUBRO
02 – quarta – 20h – Gira da Linha do Povo
04 – sexta – 20h – Socorristas
11 – sexta – 20h – Gira de Ciganos e Oriente
16 – quarta – 20h – Gira de Pretos Velhos
18 – sexta – 20h – Festa de Oxum – Ritual do Amor Divino – Caboclos
25 – sexta – 20h – Gira de Exu e Pombagira

NOVEMBRO
01 – sexta – 20h – Socorristas
08 – sexta – 20h – Festa de Obaluaê – Ritual
13 – quarta – 20h – Gira de Ciganos e Oriente
15 – sexta – 20h – não haverá gira
22 – sexta – 20h – Gira de Caboclos
27 – quarta – 20h – Gira Linha do Povo
29 – sexta – 20h – não haverá gira
30 – sábado – 17h – Tratamento Espiritual

DEZEMBRO
Festa de Iansã e Iemanjá a confirmar data

JANEIRO/14
25 – sábado – 17 horas – Festa de Oxóssi – Gira de Caboclos

FEVEREIRO/14

22 – sábado – 17 horas – Tratamento Espiritual

sábado, 20 de abril de 2013

Mensagens de Umbanda- Textos de reflexão


LÁGRIMAS DA UMBANDA!
TERREIRO DE UMBANDA IANSÃ E MAMÃE OXUM
Texto escrito por seu Dirigente

Um dia na espiritualidade superior, alguns espíritos se reuniram e sonharam com um local onde o amor, a fé, a caridade e a humildade fossem os pilares de um lindo trabalho espiritual.
Um trabalho voltado ao amor ao próximo e a caridade.
E assim surgiu a nossa linda e sagrada Umbanda.
Os nossos mentores e nossas guias espirituais conspiraram para que tudo desse certo.
Reuniu algumas pessoas na terra com os mesmos ideais.
Trabalharam firme para que estas pessoas se encontrassem e assim colocando em prática o que antes era ainda um sonho.
Uma pena que algumas das pessoas escolhidas desviaram-se do caminho tão lindamente preparado.
E exercem uma "Umbanda" tão diferente da que fora sonhado.
E mais errados são aqueles que "usam" o nome dos nossos tão queridos guias para dizer aquilo que pensam.
Sempre negando a verdadeira realidade.
E continuam praticando rituais mentirosos e falsas ideologias.
Muitas vezes me pego pensando, no que me levou a ser Umbandista!
E nos últimos tempos isto tem sido mais constante!
Devo confessar que todos os dias, tenho muitas alternativas, até mesmo a alternativa de mudar.
Mas invariavelmente chego sempre a mesma conclusão.
Sou umbandista por que amo esta religião, e ela me permite praticar o bem, ajudar quem realmente precisa.
Ela me fez crescer e aprender a amar a vida. E me ensinou a enxergar o mundo de uma forma diferente,
Alargando meus horizontes, não me deu riquezas materiais, mas me deu paz, me deu compreensão.
Trouxe acalento nas horas mais dolorosas, me fez conhecer muitas pessoas.
Algumas que já passaram outras ainda estão presentes em minha vida. E olha que outras eu nem conheço pessoalmente.
Aprendi como princípios básicos desta religião o amor, a fé, a humildade e a caridade.
Foi a Umbanda com estes princípios que aprendi a amar.
Aí de repente eu vejo pessoas que contrariam todas essas práticas quase centenárias da Umbanda.
E é tão triste contrariar as leis de Olorum .
Por isso chora minha mãe Oxum.E assim rezo:
- Oxum lava meus olhos, Oxum lava a minha alma, Oxum mãe das águas, lava o meu coração, Oxum flor das águas, lava o meu coração, que a enxurrada de suas águas tome conta de mim, e leve minhas mágoas!
Que assim seja!


Este texto foi escolhido para pedir humildemente a cada um que se propõe a vestir o branco e ser chamado (a) de médium que valorize esta tarefa. Ela é muito importante em sua vida e na das pessoas que procuram você e as Entidades que o acompanham.
Que Oxum não precise chorar mais... Que nenhum Orixá seja preterido e que acima de tudo possamos honrar a nossa Religião: Umbanda.
Sua presença foi e será sempre importante. Afinal podemos ser substituível aqui, mas  podemos tornar nossa tarefa inesquecível.
Mãe Guida
26/03-2012

Um pouco da nossa história...


Nossa Casa foi fundada em 13 de fevereiro de 1995, quando o médium Alexandre Cardoso Trinidad recebeu autorização da “Vó Redonda”, guia espiritual da médium Mary Aurea Cardoso Trinidad, mãe de santo e mãe carnal de Alexandre. 

A princípio as reuniões eram realizadas em sua casa. Aos poucos outras pessoas foram se integrando à corrente. Também foi dado início ao atendimento através de passes e consulta. Ficou estabelecido pela espiritualidade que o Guia Chefe do Terreiro seria o “Pai Joaquim de Angola”.

Paralelamente, realizávamos um trabalho de Cura com cirurgias espirituais, comandada pela Irmã Socorro, através de nossa Mãe Pequena Guida Trinidad. Que é mostra a diversidade e a riqueza da Nossa Umbanda.

Uma Casa que cultiva laços familiares, nossa base está alicerçada no campo físico na família da Margarida que são meus irmãos nesta linda e difícil missão. Muitos médiuns da nossa Casa são casais que trazem seus filhos também, amparados pelo o Plano Espiritual, formarmos A FAMÍLIA DO NPJ.Abaixo lembranças da nossa Casa...

 

sábado, 6 de abril de 2013

ALTERAÇÃO CALENDÁRIO 2013

ATENÇÃO,

12 – sexta – 20h – Gira de Caboclos;

14 – domingo – Santuário dos Orixás em Santo André (não haverá)


segunda-feira, 18 de março de 2013

A UMBANDA, AS EMOÇÕES E CRESCIMENTO ESPIRITUAL (PARTE II)



Dando sequência à publicação Parte I:

TRISTEZA

É uma emoção que tem como causa a perda, separação ou fracasso.
Por exemplo, perda de um emprego, separação por conta da morte de um ente querido, fracasso numa prova da faculdade, etc.
Dentre todas as emoções a tristeza é aquela que o ser humano tem mais aversão, pois o consequente sofrimento é imediato.
Por outro lado a tristeza motiva o homem a refletir sobre seus princípios e atitudes, forçando a modificar-se e a evoluir.
Com isso, ele acaba aprimorando-se o que é saudável para o convívio social.
Na Umbanda, a tristeza constitui-se numa das maiores motivações para a busca de um Guia Espiritual, quando o sofrimento se torna tão grande que todo preconceito, receio, medo, acaba se esvaindo diante da necessidade de se resolver o problema.
Mas qual seria a melhor atitude diante da tristeza?
O ideal seria expressar essa tristeza através de palavras e gestos, permitindo-se chorar e/ou recolher-se. Precisamos de um tempo para nos refazer.
Mas isso não pode demorar-se, pois a longa exposição à tristeza pode nos levar a um estado de depressão.
Se por um lado a tristeza é positiva, pois nos obriga a refletir, por outro lado ela não pode nos desviar de uma conduta realista diante da vida.
Na prática, devemos buscar motivação para continuarmos a viver, mesmo porque existem muitas outras necessidades da vida a serem satisfeitas.

MEDO

O medo quando é provocado por algo real é considerado saudável e condição essencial para a sobrevivência, visto que sem ele o ser humano colocaria sua vida em constante risco.
Por outro lado, o medo de algo irreal (imaginário) ou o medo exagerado tende a transformar a nossa vida num pesadelo.
Fisologicamente o corpo se prepara para enfrentar o medo através da descarga de adrenalina, substância que possibilita uma reação rápida e eficiente. Contudo quando a adrenalina não é utilizada o seu efeito é exatamente o contrário, colocando-nos num estado de recolhimento e tristeza,
Por isso o medo tem que ser trabalhado sempre de maneira que seja proporcional à sua cauda imediata.
Nosso Guias estão sempre nos encorajando a enfrentar o medo de maneira mais racional possível, mas a confiança é sem dúvida o elemento mais importante para lhe dar com o medo.
É preciso cultivar a fé e aprender a valorizar-se, pois a auto-estima elevada nos traz segurança e consequentemente possibilita a segurança necessária que devemos sentir diante das situações de perigo.
Há um ditado chinês interessante:
“Onde não há medo não há perigo”

ALEGRIA E AFETO

De um modo geral, as pessoas não tem grandes problemas com essas emoções.
Porém, é preciso atentarmos para o fato de que essas emoções quando levadas ao exagero podem causar frustrações maiores do que as três emoções consideradas negativas.
O equilíbrio é o estado aconselhado por nossos mentores espirituais.
Basta observarmos os seus comportamentos. São sempre controlados por uma emoção bastante firme, porém calma e imponente.
Assim, podemos concluir que nossos amados Guias tem sempre nos mostrado o melhor caminho e se não conseguimos alcançarmos esse pretenso estado de equilíbrio é por que não maioria das vezes temos negligenciado quanto aos exemplos a serem seguidos.
Muita luz a todos nessa jornada que juntos percorremos e mais uma vez espero poder ter sido útil.
Muito axé, querido irmãos.
Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

segunda-feira, 11 de março de 2013

A UMBANDA, AS EMOÇÕES E O CRESCIMENTO ESPIRITUAL - PARTE I


Como usar suas emoções a seu favor?
Basicamente o ser humano tem 5 tipos de emoções:
Raiva, Tristeza, Medo, Alegria e Afeto.
Costumamos considerar as três primeiras como negativas e as duas últimas, positivas.
Esse tipo de visão é um erro. Não nos traz nenhum benefício. Pelo contrário, nos mergulha num poço de impotência e frustração.
De fato, toda emoção é importante e tem uma função positiva, pois ela nos impulsiona no sentido de agir. Sem ela nós mergulharíamos na inércia total.
Na Umbanda, nossos Guias são sábios condutores das emoções.
Constantemente eles estão nos motivando através de nossas emoções.
Vale a pena observar isso.
Os próprios trabalhos de magia têm essa função: agir emocionalmente em nosso campo físico e espiritual.
As oferendas, rituais, procedimentos, iniciações, etc. são sempre carregados de fortes emoções.
Por exemplo, quando vamos fazer uma oferenda num local público sentimos medo de ser surpreendidos por alguém ou algo sobrenatural.
Quando preparamos uma homenagem para nossos Orixás, somos tomados de muito afeto e alegria.
São muitos os exemplos do uso da emoção na Umbanda.
E são essas emoções que nos motivam.
Bem agora vamos exercitar a parte prática.
CONHECENDO AS EMOÇÕES
Para que possamos utilizar bem nossas emoções precisamos conhece-las muito bem.
O exercício consiste em identificar que emoção, entre os tipos elencados, estamos sentido em determina momento.
Faça esse exercício todos os dias, todas as horas, até que crie esse hábito.
Conhecendo nossas emoções podermos agir da maneira mais adequada.
RAIVA
A energia que a raiva produz e concentra é espantosa. Entretanto a grande maioria das pessoas acabam desperdiçando-a utilizando-a de forma errada.
Como a identificamos como algo negativo, acabamos por nós culpar.
Os mais contidos “engolem um sapo” prejudicando seu sistema digestivo.
Outros “vomitam” impropérios” (palavrões) poluindo o ambiente a sua volta e jogando fora uma energia que poderia ser usada para seu proveito.
Por fim há aqueles que transformam a raiva em violência. As consequências podem ser um olho roxo e lamentavelmente até a morte de um dos envolvidos.
Mas qual é a melhor atitude?
A resposta está na observação do comportamento de nossos Guias Espirituais.
Reparem como eles, mesmo diante de situações adversas e estressantes, conseguem manter o equilíbrio e, mesmo que tenham que usara “força”, o fazem de maneira racional e inteligente, sempre focando única e exclusivamente o propósito final do trabalho.
Por isso eles são os nossos Mestres.
E as outras emoções? Como lidar com elas?
Se você se interessou pelo assunto e quer saber mais, aguarde a próxima publicação.
Espero que possa ter contribuído positivamente na sua vida.
Pai Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

quarta-feira, 6 de março de 2013

AVISO IMPORTANTE

Tendo em vista a necessidade de algumas adequações de nossa Casa às normas de segurança dos Bombeiros estaremos suspendendo nossas atividades públicas a partir de hoje, provavelmente até duas semanas.

Pedimos a compreensão de todos.

Informaremos tão logo tenhamos uma data para voltarmos.

Muito Axé a todos.

Pai Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

CALENDÁRIO PRIMEIRO SEMESTRE 2013

JANEIRO/2013
23 – quarta – 20h - Assembleia Geral (todos associados)
25 – sexta – 20h - Festa de Oxóssi – Gira de Caboclos
29 – terça – 20h - Retorno Curso de Teologia
30 – quarta – 20h - Socorristas

FEVEREIRO
01 – sexta – 20h – não heverá gira
02 – sábado – 14h – Retorno Curso de Teologia
02 – sábado – 17h – Tratamento Espiritual
06 – quarta – 20h – Amaci
08 – sexta – 20h – Ritual das Águas de Iemanjá – Marinheiro
13 – quarta – 20h – Baianos passe e consulta
15 – sexta – 20h – Pretos Velhos passe e consulta
20 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
22 – sexta – 20h – Socorristas
27 – quarta – 20h – Ciganos e Oriente passe e consulta

MARÇO
01 – sexta – 20h – Exu e Pombagira consulta
06 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
08 – sexta – 20h – Pretos Velhos passe e consulta
13 – quarta – 20h – Caboclos passe e consulta
15 – sexta – 20h – Ciganos e Oriente passe e consulta
20 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
22 – sexta – 20h – Socorristas
27 – quarta – 20h – Baiano e Marinheiro passe e consulta
29 – sexta – 15h – Oxalá – Ritual da Família

ABRIL
03 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
05 – sexta – 20h – não haverá gira
06 – sábado – 17h – Tratamento Espiritual
10 – quarta – 20h – Exu e Pombagira
12 – sexta – 20h – não haverá gira
14 – domingo – Santuário dos Orixás em Santo André
17 – quarta – 20h - Reforço proteção médiuns (fechado)
19 – sexta – 20h – Socorristas
24 – quarta – 20h - Pretos Velhos passe e consulta
26 – sexta – 20h – Festa de Ogum (Ritual contra Demandas)

MAIO
01 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
03 – sexta – 20h – Exu e Pombagira consulta
08 – quarta – 20h – Baianos e Marinheiros passe e consulta
10 – sexta – 20h – Caboclos passe e consulta
15 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
17 – sexta – 20h – Festa de Pretos Velhos Ritual das Ervas
22 – quarta – 20h – Orixás (todos médiuns) sem assistência
24 – sexta – 20h – Socorristas
29 – quarta – 20h – Baianos e Marinheiros passe e consulta
31 – sexta – 20h – Festa de Santa Sara – Gira de Ciganos

JUNHO
05 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
07 – sexta – 20h – Exu e Pombagira consulta
12 – quarta – 20h – Caboclos passe e consulta
14 – sexta – 20h – Pretos Velhos passe e consulta
19 – quarta – 20h - Reforço proteção médiuns
21 – sexta – 20h – Socorristas
26 – quarta – 20h – Desenvolvimento (fechado)
28 – sexta – 20h – Festa de Xangô – Ritual Justiça Divina

JULHO
06 – sábado – 17h - Tratamento Espiritual
12/13 – Festa Julina
14/28 – recesso

AGOSTO
02 – sexta – 20h – Festa de Nanã - Ritual da Transmutação

Umbanda e a Prosperidade

Quem quer ser próspero? Quem quer ter mais saúde? Mais dinheiro? Quem quer viajar? Comer nos melhores restaurantes? Quem quer d...